sábado, agosto 29, 2009

Somos todos crentes

Nossos governantes, especialmente aqueles que afirmam ter fé, acreditam que andar em companhia de ladrões não é motivo de vergonha. Afinal, Jesus vivia entre eles, e morreu entre dois deles. Ladrões pobres, é claro, pois senão não estariam condenados. Mas ignoram que Jesus preocupava-se em levá-los para o Paraíso, como falou de sua cruz a um deles: "Em verdade, eu te digo, hoje estarás comigo no Paraíso." (Luc 23,43). Vieira, inspirador destas linhas, afirmava que, ou os governantes levam os ladrões ao Paraíso, ou os ladrões os carregam consigo para o Inferno.

E o que fazem os nossos governantes com seus ladrões? Nem os fazem pagar, não raro os aceitam de volta e até os promovem a cargos mais altos. Para de mais alto, mais roubarem. E depois, os governantes, não querem eles pagar. E o exemplo que temos vêm do próprio Criador. Assumiu a responsabilidade por uma nomeação feita com toda a lisura, transparente - não havia concorrentes e o candidato tinha méritos de sobra: "Deus disse: Façamos o homem à nossa imagem, como nossa semelhança." (Gen.1,26) - enviando seu próprio Filho para pagar, com seu doloroso sacrifício, o crime cometido por Adão, o primeiro homem e já o primeiro ladrão.

Saibam nossos governantes que andar em companhia de ladrões é tradição dos poderosos. Em outros tempos, os favoritos, aqueles que acompanhavam as autoridades, eram denominados laterones (aqueles que ficam ao lado). Com a corrupção da linguagem, vieram a ser chamados latrones, e, finalmente, em bom português, ladrões. Não só as palavras se corrompem, como também as funções.

2 comentários:

Adriana disse...

Todos os pecados serão perdoados! Acreditar nisso é amanhecer todos os dias com a liberdade de errar sem culpa. Afinal são todos homens de Boa Vontade.
"O Bode Inocente. No dia da Expiação, o grande sacerdote traz o bode ao templo, coloca as mãos sobre sua cabeça e confessa os pecados do povo, transferindo a culpa para o animal inocente, que é depois abandonado no deserto, desaparecendo com ele os pecados e as culpas do povo."
A culpa será sempre da maçã! paraíso!

Jorge disse...

Seu blog está ótimo. Inteligente como o criador. Mas Jesus não levou os dois ladrões ao paraíso. Somente aquele que confessou o seu erro e se arrependeu. Jesus andava entre pecadores que haviam se arrependido. E só para lembrar: ele não tolerava os vendilhões do templo, que é de fato o que proliferado, ao lado dos ladrões.

abração
Jorge Antonio Barros